THOUSANDS OF FREE BLOGGER TEMPLATES

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Por que adoecemos?

 


 
Quando ficamos doentes pensamos em nos curarmos e nem sequer pensamos nos motivos que nos levaram a tal
doença, mas é muito importante entender as motivações que nos fazem adoecer. Afinal, por que adoecemos? Essa com certeza não é uma resposta fácil de ser respondida, mas as pessoas adoecem porque têm necessidade de adoecer, ainda que inconsciente, por mais difícil que seja aceitar esse fato. Por que haveria a necessidade para o adoecer? Vamos analisar alguns fatores desencadeantes do adoecer:
- fuga
- incapacidade de expressar as emoções
- desejo de autopunição
- necessidade de atenção (muito comum em crianças e idosos)
- estresse
- Fuga:
A doença pode ser uma válvula de escape dos conflitos emocionais. De alguma forma, ao adoecer somos obrigados a nos retirar da rotina para buscar a cura, é como se fosse uma maneira de nos cuidarmos, e que muitos deixam esse importante quesito para a manutenção da saúde em segundo plano. Por exemplo, o caso de um empresário que sofre um infarto quando se depara com a falência de sua empresa. Muitas vezes a doença pode ser mais destrutiva que a agressão original, mas que naquele momento não foi mais possível suportar. Se a pessoa se encontra num momento de fragilidade, ou seja, sem mecanismos de defesa, mais facilmente ela adoecerá. O mais indicado é não negar o sofrimento ou o conflito pelo qual se passa, mas nem sempre a própria pessoa consegue identificar o que sente. A dor tem que ser sentida e esgotada, pois só assim será superada.

- Incapacidade de expressar as emoções:
A incapacidade de expressar as emoções é um fator importante na origem das doenças orgânicas. Em nossa sociedade, apesar de que nos últimos anos, felizmente, está realidade tem mudado, não há espaço para manifestações de afeto, exteriorização das emoções ou do sofrimento psíquico. Em nossa cultura é muito mais aceitável, por exemplo, uma justificativa pela ausência da pessoa no trabalho, em função de alguma doença física do que por alguma dificuldade emocional. É mais aceitável um enfarte, onde todos ficam comovidos e preocupados; do que uma depressão, ou outro sofrimento psíquico, que geralmente é visto como frescura. Claro que isso acontece muito mais em função da falta de conhecimento, da ignorância, do que pelo fato em si. Essa postura intolerante diante do sofrimento psicológico fica evidente no comportamento de algumas pessoas que convivemos. A doença física parece ser mais merecedora de atenção e cuidados do que aquele que sofre sem apresentar alterações orgânicas. Isso faz com que muitas pessoas tenham vergonha de sua dor psíquica, não tendo muitas vezes, espaço nem coragem, para expressar seu sofrimento, escolhendo assim, ainda que inconscientemente, a expressão pelo físico.

Como no exemplo citado do empresário, diante das dificuldades e não suportando seu sofrimento e angústia, ao sofrer um infarto, ele sabe que todos lhe darão amparo e cuidados; mas se ele se colocasse a chorar e lamentar-se por sua dor, poderia receber desprezo e ser visto como alguém fraco.
É comprovado que as pessoas que suportam suas dores sozinhas adoecem com maior freqüência e de maneira mais grave que aquelas que verbalizam suas dores. Algumas pessoas criam dentro de si verdadeiras prisões emocionais. A incapacidade de comunicar com palavras seus sentimentos faz com que o corpo expresse esses sentimentos, ou seja, o adoecer é a forma inconsciente de mostramos nosso sofrimento de uma maneira mais aceitável ou quando não conseguimos fazê-lo de outra maneira.

- Autopunição:
A autopunição surge para aliviar a ansiedade causada por um sentimento de culpa, derivado de um comportamento real ou imaginário, onde a pessoa se agride internamente. São pessoas que inconscientemente se sentem culpadas e merecedoras de castigo. Geralmente com a culpa, sempre vem a autopunição.
Quando há um conflito, mesmo que não tenhamos consciência de sua existência, será motivo de muito sofrimento, e se não for adequadamente resolvido, resultará em um estado de desequilíbrio do organismo a que chamamos doença. Como nem sempre conseguimos modificar a realidade, temos que nos adaptarmos a ela. Esse processo de adaptação não ocorre impunemente. Os meios que nossa psique lança mão para controlar o conflito são através dos mecanismos de defesa, que podemos entender como válvulas de escape de uma panela de pressão, que se não existirem, a panela explode. A explosão seria a doença, pois nem sempre os mecanismos de defesa conseguem ser eficazes.

- Necessidade de atenção:
A doença surge como uma forma de obter atenção, principalmente em crianças e idosos.
A opção pelo adoecer se faz pelo que chamamos de ganhos secundários. Para muitas pessoas a doença e o repouso na cama satisfazem suas necessidades de dependência, e até de descanso, como o ambiente hospitalar, que oferecem a oportunidade de satisfação parcial ao serem alimentados, cuidados e protegidos no mundo exterior. Ou as visitas constantes ao médico, tendo que as ouça e lhes dê um pouco de atenção, principalmente entre os idosos.

Se quando crianças ficávamos doentes e éramos atendidos, quando adultos podemos relacionar ficar doente com obter atenção, buscando preencher as carências e necessidades. Quando ficamos doentes não ficamos mais carentes de atenção, colo, carinho? Isso acontece porque um dos mecanismos de defesa muito comum durante a doença é a regressão, onde passamos a ter comportamentos próprios da infância. A regressão significa uma dificuldade em enfrentar ou controlar as situações de conflito. É como se, voltando a agir como criança, desistíssemos de lutar e nos entregamos aos cuidados dos outros.

- Estresse:
O estresse é um conjunto de reações que o organismo desenvolve quando submetido a uma situação que exige esforço para sua adaptação. É uma tensão emocional constante e quando essa tensão se torna intensa e prolongada, poderá haver falha nos mecanismos de defesa e surge a doença.
A expressão corporal constitui o primeiro e mais primitivo meio de comunicação e de defesa que o ser humano dispõe, principalmente nos momentos que as defesas estejam bloqueadas.
A vinculação entre estado psicológico e baixa das defesas do organismo baseiam-se nas alterações orgânicas que as situações do estresse provocam: maior produção de cortisona (hormônio produzido pelas supra-renais), que ocorre nessas situações, levaria à maior destruição das células de defesa do organismo. A relação entre o estado psicológico e as doenças não ocorre apenas nas situações de estresse, mas também de tristeza, ou toda sobrecarga de tensão emocional.

Diante do exposto acima, podemos perceber que as origens das doenças podem ser muitas, mas se analisarmos mais profundamente podemos perceber que a necessidade de adoecer está sempre relacionada com a falta de amor a si mesmo, e a necessidade desesperada de reconhecimento e atenção do mundo exterior. E ainda mais, percebemos como é importante expressarmos nossas emoções!

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

O Feng Shui da Alma



"A bagunça é inimiga da prosperidade. Ninguém está livre da desorganização. A bagunça forma-se sem que se perceba e nem sempre é visível. A sala parece em ordem, a cozinha também, mas basta abrir os armários para ver que estão cheios de inutilidades. De acordo com o Feng Shui Interior - uma corrente do Feng Shui que mistura aspectos psicológicos dos moradores com conceitos da tradicional técnica chinesa de harmonização de ambientes - bagunça provoca cansaço e imobilidade, faz as pessoas viverem no passado, engorda, confunde, deprime, tira o foco de coisas importantes, atrasa a vida e atrapalha relacionamentos. Para evitar tudo isso fique atento às oito regras para domar a bagunça. 

1. Jogue fora o jornal de anteontem.

2. Somente coloque uma coisa nova em casa quando se livrar de uma velha. (adoro e sigo especialmente este ítem!)

3. Tenha latas de lixo espalhadas nos ambientes, use-as e limpe-as diariamente.

4. Guarde coisas semelhantes juntas; arrume roupas no armário de acordo com a cor e fique só com as que utiliza mesmo.

5. Toda sexta-feira é dia de jogar papel fora.

6. Todo dia 30, por exemplo, faça limpeza geral e use caixas de papelão marcadas: lixo, consertos, reciclagem, em dúvida, presentes, doação. Após enchê-las, jogue tudo fora.

7. Organize devagar, comece por gavetas e armários e depois escolha um cômodo, faça tudo no seu ritmo e observe as mudanças acontecendo na sua vida.

8. Veja abaixo uma lista de atitudes pessoais capazes de esgotar as nossas energias. Conheça cada dessas ações para evitar a crise energética pessoal:


8.1. Maus hábitos, falta de cuidado com o corpo - Descanso, boa alimentação, hábitos saudáveis, exercícios físicos e o lazer são sempre colocados em segundo plano. A rotina corrida e a competitividade fazem com que haja negligência em relação a aspectos básicos para a manutenção da saúde energética.
 
8.2. Pensamentos obsessivos - Pensar gasta energia. Ficar remoendo um problema cansa mais do que um dia inteiro de trabalho físico. Quem não tem domínio sobre seus pensamentos - mal comum ao homem ocidental - torna-se escravo da mente e acaba gastando a energia que poderia ser convertida em atitudes concretas, além de alimentar ainda mais os conflitos. Não basta estar atento ao volume de pensamentos, é preciso prestar atenção a sua qualidade. Pensamentos positivos, éticos e elevados podem recarregar as energias, enquanto o pessimismo consome energia e atrai mais negatividade para nossas vidas. 

8.3. Sentimentos tóxicos - Choques emocionais e raiva intensa também esgotam as energias, assim como ressentimentos e mágoas nutridos durante anos seguidos. Não é à toa que muitas pessoas ficam estagnadas e não são prósperas. Isso acontece quando a energia que alimenta o prazer, o sucesso e a felicidade é gasta na manutenção de sentimentos negativos. Medo e culpa também gastam energia e a ansiedade descompassa a vida. Por outro lado, os sentimentos positivos, como a amizade, o amor, a confiança, o desprendimento, a solidariedade, a auto-estima, a alegria e o bom-humor recarregam as energia e dão força para empreender nossos projetos e superar os obstáculos. 

8.4. Fugir do presente - As energias são colocadas onde a atenção é focada. O homem tem a tendência de achar que no passado as coisas eram mais fáceis: "Bons tempos aqueles!", costumam dizer. Tanto os saudosistas, que se apegam às lembranças do passado, quanto aqueles que não conseguem esquecer os traumas, colocam suas energias no passado. Por outro lado, os sonhadores ou as pessoas que vivem esperando pelo futuro, depositando nele sua felicidade e realização, deixam pouca ou nenhuma energia no presente. E é apenas no presente que podemos construir nossas vidas. 

8.5. Falta de perdão - Perdoar significa soltar ressentimentos, mágoas e culpas. Libertar o que aconteceu e olhar para frente. Quanto mais perdoamos, menos bagagem interior carregamos, gastando menos energia ao alimentar as feridas do passado. Mais do que uma regra religiosa, o perdão é uma atitude inteligente daquele que busca viver bem e quer seus caminhos livres, abertos para a felicidade. Quem não sabe perdoar os outros e si mesmo, fica energeticamente obeso, carregando fardos passados. 

8.6. Mentira pessoal - Todos mentem ao longo da vida, mas para sustentar as mentiras muita energia é gasta. Somos educados para desempenhar papéis e não para sermos nós mesmos: a mocinha boazinha, o machão, a vítima, a mãe extremosa, o corajoso, o pai enérgico, o mártir e o intelectual. Quando somos nós mesmos, a vida flui e tudo acontece com pouquíssimo esforço. 

8.7. Viver a vida do outro - Ninguém vive só e, por meio dos relacionamentos interpessoais, evoluímos e nos realizamos, mas é preciso ter noção de limites e saber amadurecer também nossa individuali-dade. Esse equilíbrio nos resguarda energeticamente e nos recarrega. Quem cuida da vida do outro, sofrendo seus problemas e interferindo mais do que é recomendável, acaba não tendo energia para construir sua própria vida. O único prêmio, nesse caso, é a frustração.

8.8. Bagunça e projetos inacabados - A bagunça afeta muito as pessoas, causando confusão mental e emocional. Um truque legal quando a vida anda confusa é arrumar a casa, os armários, gavetas, a bolsa e os documentos, além de fazer uma faxina no que está sujo. À medida que ordenamos e limpamos os objetos, também colocamos em ordem nossa mente e coração. Pode não resolver o problema, mas dá alívio. Não terminar as tarefas é outro escape de energia. Todas as vezes que você vê, por exemplo, aquele trabalho que não concluiu, ele lhe "diz" inconscientemente: "Você não me terminou! Você não me terminou!" Isso gasta uma energia tremenda. Ou você a termina ou livre-se dela e assuma que não vai concluir o trabalho. O importante é tomar uma atitude. O desenvolvimento do autoconhecimento, da disciplina e da determinação fará com que você não invista em projetos que não serão concluídos e que apenas consumirão seu tempo e energia. 

8.9. Afastamento da natureza - A natureza, nossa maior fonte de alimento energético, também nos limpa das energias estáticas e desarmoniosas. O homem moderno, que habita e trabalha em locais muitas vezes doentios e desequilibrados, vê-se privado dessa fonte maravilhosa de energia. A competitividade, o individualismo e o estresse das grandes cidades agravam esse quadro e favorecem o vampirismo energético, onde todos sugam e são sugados em suas energias vitais. Atitudes erradas jogam energia pessoal no lixo.


Posicionar os móveis de maneira correta, usar espelhos para proteger a entrada da casa, colocar sinos de vento para elevar a energia ou ter fontes d'água para acalmar o ambiente são medidas que se tornarão ineficientes se quem vive nesse espaço não cuidar da própria energia. Portanto, os efeitos positivos da aplicação do Feng Shui nos ambientes estão diretamente relacionados à contenção da perda de energia das pessoas que moram ou trabalham no local. O ambiente faz a pessoa e vice-versa. A perda de energia pessoal pode ser manifestada de várias formas, tais como: falha de memória (o famoso "branco"), cansaço físico, o sono deixa se ser reparador, ocorrência de doenças degenerativas e psicossomáticas. Para economizar energia, o crescimento pessoal, prosperidade e a satisfação diminuem. Talentos não se manifestam mais por falta de energia, o magnetismo pessoal desaparece, medo constante de que o outro o prejudique, aumentando a competição, o individualismo e a agressividade, falta proteção contra as energias negativas e aumenta o risco de sofrer com o "vampiro energético".



Extraído do site de Carolina Arêas www.terapiafloral.net

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Peça e Receba... Amor e Gratidão...



:: Rubia A. Dantés ::

Nesse tempo onde muitas coisas estão acontecendo, toda ferramenta que nos chega para ajudar é preciosa... foi assim com o Ho'oponopono e agora com Peça e Receba.
Estou praticando da forma mais simples, e está funcionando com tanta força, comigo e nas pessoas em que tenho aplicado... que estou muito feliz e esperançosa com essa nova ferramenta.

O que tenho percebido é que, ao praticarmos, as crenças que estavam ocultas, alimentando nossos problemas, são reveladas de uma forma muito rápida e nítida. Uma vez reveladas fazemos a liberação com a própria ferramenta.

Percebo que ao fazermos o pedido de forma clara e objetiva, isso por si só já nos revela algumas crenças. Observei que quando o pedido envolve um emprego melhor, ou uma melhoria na vida financeira, muitas crenças relacionadas ao dinheiro aparecem. Quando estava escrevendo sobre isso, alguns dias atrás, chegou uma canalização do Metatron que achei fantástica...

"Portanto, entenda que, para além da sintaxe, pensamentos positivos só podem se manifestar se estiverem em sincronia com as suas crenças. Por exemplo, se no seu âmago, você ACREDITA que não merece abundância, ou se no âmago da sua mente, você acredita que o acúmulo de abundância é materialista e, portanto, errado, você não manifestará abundância apenas pensando sobre ela. Se acreditar que o dinheiro é a raiz de todo o mal, a LEI da Atração não funcionará para você, até que mude essa crença básica."
 


Vou passar o Peça e Receba da forma que tenho feito e que tem dado muitos resultados.

Primeiro você escolhe um objetivo que queira alcançar e que está encontrando dificuldade. Pode ser em qualquer área da sua vida... a cura de uma doença, um emprego, um relacionamento, se livrar de um medo... etc..
Vou ensinando e dando um exemplo, porque acho que fica mais fácil entender

Escreva o que você quer de forma clara, positiva e bem definida. Vamos ver que muitas vezes temos dificuldade em saber o que realmente queremos e em elaborar isso de forma clara.

Ex: Eu quero me curar de uma dor de cabeça crônica e de tudo que ela representa

Encontre 3 motivos pelos quais está tendo dificuldade em alcançar o seu objetivo, da forma mais espontânea possível. Escreva a primeira coisa que vier, sem pensar muito

Ex: Eu não consigo me curar porque acredito que não mereço
Eu estou tendo dificuldade em me curar porque nada dá certo para mim
Eu não consigo me curar porque me sinto culpado.


A seguir fale em voz alta o que quer... é importante falar em voz alta, mas também pode ser feito mentalmente, caso esteja em algum lugar onde não possa fazer isso.

Ex: Eu quero me curar de uma dor de cabeça crônica e de tudo que ela representa

Uma vez feito isso observe o quanto isso é verdade para você, dando uma nota de um a dez.

A seguir fale em voz alta as afirmações...
- Existe uma parte do meu ser que já sabe como curar e eliminar essa dor de cabeça e tudo que ela representa
- Essa parte do meu ser quer informar isso a outras partes minhas que ainda não sabem disso
- A comunicação está sendo feita nesse momento, com facilidade e leveza
- Minha mente, corpo e espírito, estão recebendo a informação agora
- A atualização da informação foi feita

Dê uma respiração profunda e repita a frase
Ex: Eu quero me curar de uma dor de cabeça crônica e de tudo que ela representa
Observe de 1 a 10 qual a veracidade dela para você
Se for menos de 8 faça de novo as afirmações e de novo o teste, até alcançar 8 ou mais Eu gosto de fazer até o 10.

A seguir você faz para limpar as crenças.
Fale a frase com a sua crença.

Ex: Eu acredito que não consigo me curar dessa dor de cabeça crônica porque não mereço

Observe na escala de 1 a 10 o quanto você acredita nisso

Se for mais de 2, você fala assim:
- Existe uma parte do meu ser que já sabe que eu não preciso mais acreditar que não mereço me curar dessa dor de cabeça
- Essa parte do meu ser quer informar isso a outras partes minhas que ainda não sabem disso
- A comunicação está sendo feita nesse momento, com facilidade e leveza
- Minha mente, corpo e espírito, estão recebendo a informação agora
- A atualização da informação foi feita

Dê uma respiração profunda e repita a frase
Ex: Eu acredito que não consigo me curar dessa dor de cabeça crônica porque não mereço
E faz o teste para ver o quanto ainda acredita nisso até chegar ao 2 ou zero. Eu gosto de chegar até o zero

Então você fala uma frase positiva
Ex: Eu mereço curar e eliminar essa dor de cabeça e tudo que ela representa E da mesma forma faz as afirmações até a sua credibilidade chegar ao 8 ou 10

E vai fazendo isso com todas as crenças que percebeu antes e com as que aparecerem durante o processo ou depois.

Depois você pode repetir quando quiser a primeira afirmação com a frase do seu pedido. Ex: Existe uma parte do meu ser que já sabe como curar e eliminar essa dor de cabeça e tudo que ela representa

Eu li que uma terapeuta americana tem usado, depois das afirmações: "Amor e Gratidão", e também acrescentei isso às minhas afirmações.
Então depois que falo: A atualização da informação foi feita, falo "Amor e Gratidão"... Cada um pode fazer como sentir melhor...

Para medir a força do seu pedido ou da crença, podem ser usadas outras formas, como o teste muscular ou o incômodo que sente em relação àquilo... mas gosto de usar da forma que passei, porque acho mais simples.

Vamos olhar tudo a partir do coração...

Ref: Tom Altafer e Sandi Radomski

DEPRESSÃO - cuidado




Desânimo nas atividades do dia a dia, alterações do padrão de sono e do apetite e falta de libido. Esses são apenas alguns dos sintomas que caracterizam um quadro clínico de depressão. Só para você ter uma ideia da gravidade desse transtorno mental, a depressão deverá ser a segunda doença mais comum no mundo no ano de 2020, superada apenas pelas doenças cardíacas.

Ainda por cima, é tratada muitas vezes como "frescura" pelas pessoas que classificam a depressão como falta de vontade ou disposição e até de franqueza de caráter. Isso só prejudica o diagnóstico do transtorno e, consequentemente, seu tratamento. Além do mais, são as mulheres as mais suscetíveis ao apresentar o problema.

Conversamos com o Dr. Alexandre Faisal, ginecologista-obstetra, com formação Psicossomática, e pesquisador científico do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), para sanar as principais dúvidas e preconceitos que cercam esse transtorno mental.


 

Podemos dizer que é a depressão é uma doença moderna?

Nós utilizamos o termo "transtornos mentais" que é mais amplo e engloba vários problemas psiquiátricos e psicológicos. Eles afetam 25% da população em alguma fase da vida, sendo a depressão um dos transtornos mentais mais comuns. Imagina-se que a depressão deverá ser, no mundo, a segunda doença mais comum no ano de 2020, sendo superada apenas pelas doenças cardíacas.

Que sinais atestam um quadro clínico de depressão?

Existem critérios para definir a doença depressão, que é diferente de, por exemplo, um dia estar se sentindo triste, coisa que acontece com qualquer pessoa em algum momento da vida. Os principais sintomas para depressão maior, ou seja, a depressão na forma mais intensa e grave são: perda de prazer em atividades anteriormente prazerosas e humor deprimido. Outros sintomas devem estar presentes também: ansiedade, alterações do padrão do sono e do apetite, falta de libido, cansaço, falta concentração, pensar em se machucar, se desvalorizar etc. Os sintomas devem ter duração de pelo menos 15 dias.

As mulheres são mais sujeitas à doença?

Sem dúvida. As mulheres são mais susceptíveis de apresentarem o problema. Saiu o resultado de um grande estudo internacional do qual o Brasil fez parte e lá fica claro que a prevalência da doença ao longo da vida é o dobro para as mulheres. E isso significa que até 20%, 25% das mulheres enfrentarão o problema alguma vez na vida.

Por que a mulher correm mais risco?

O maior risco de sintomas depressivos no sexo feminino, já a partir da adolescência, é um fenômeno bastante conhecido. E a explicação não está no fato de que a depressão é mais diagnosticada em mulheres porque elas procuram mais os serviços de saúde. Talvez, a explicação esteja mesmo nas questões socioculturais, no modo como a mulher enfrenta as experiências adversas da vida, aqueles traumas que acontecem. No geral, aspectos psicológicos e biológicos se mesclam para explicar a depressão feminina.

Muitas pessoas encaram como frescura. Por que o preconceito?

Infelizmente, sim. De fato, muitas pessoas são preconceituosas com os problemas dos transtornos do humor, da depressão e consideram muitas vezes uma questão de falta de vontade ou disposição, fraqueza de caráter. Isso não é verdade e só prejudica o início do tratamento.

Ao perceber os sintomas, que profissional deve-se procurar e em quanto tempo?

O mais breve possível. Às vezes, é alguém próximo da mulher que percebe o problema e sugere acompanhamento médico ou psicológico. A mulher pode procurar um clínico, o ginecologista ou ir direto para o psiquiatra. O importante é que ela tenha espaço e liberdade para falar do seu problema e, dependendo do caso, ser tratada por um ou por outro profissional. Isso sem contar a possibilidade dela fazer sua terapia psicológica até mesmo independentemente da depressão.

Quais os tratamentos mais adequados?

Os antidepressivos são drogas bastante seguras e que, cada vez mais, têm menos efeitos colaterais. Existem diferentes tipos de medicações que devem ser indicados caso a caso. Mas atenção: nada de automedicação e de interrupção do tratamento.

Pode tomar medicamento para combater a depressão durante a gravidez?

Este assunto é muito controverso. Mas podemos dizer que se trata de uma balança. De um lado está o risco que a depressão acarreta para a gestante, do tipo parto prematuro, do bebê nascer com baixo peso, da gestante não dar conta do recado que é a maternidade, como um todo. Do outro lado, os riscos potenciais para o bebê, principalmente, das malformações fetais. Felizmente, tudo indica que os riscos são pequenos e estão mais associados ao uso destas medicações no início da gravidez. É preciso pensar e discutir calmamente com o obstetra.

A rede pública de saúde dispõe de programas específicos para a depressão?

Existem programas específicos e muitas UBS (Unidades Básica de Saúde) podem oferecer o tratamento inicial ou encaminhar a mulher para estes núcleos de atendimento especializado. O problema é que a depressão e outros transtornos mentais são muito comuns e a demanda é muito grande. Como existe uma escassez de profissionais e serviços especializados, acontece de muitas mulheres (e homens também) ficarem sem atendimento adequado.

Quais as alternativas para a pessoa que tem pensamentos depressivos?

Acho que o mais importante inicialmente é fazer o diagnóstico. Saber se é depressão e como isso interfere na vida da pessoa. Escutar a opinião do médico, psiquiatra ou não, antes de qualquer coisa. A partir daí optar pelo tratamento medicamentoso e/ou terapia. Em geral, os melhores resultados associam remédios e terapia psicológica. Outras modalidades de terapia como relaxamento, Yoga, entre outros, podem ser empregadas complementarmente, mas não substituem os tratamentos convencionais, que, em geral, funcionam.

Por: Ana Paula, em  Tempo de Mulher

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Um relato, apenas, de Dor na Alma








Droga em dor maior

Autor: vanessa

Eu olhava para esse mundo um mundo imenso,olho a noite que parece ser infinita,mais lá vem ela pela estrada das sombras ela vem humilde e cativante e o pavor já se insinua já posso ouvir vozes do nada,de onde vem e para aonde vai me levar!
pouco a pouco vem o silencio as luzes da cidade se apagam e eu ainda ali com ela;ao amanhecer volto para casa ainda com ela no meu sangue em minha alma,cansada com sono e na consciência um medo por saber que minha noite passada foi censurada onde somente eu e ela sabemos o que lá aconteceu em que caminho eu percorrer para encontrá-la,mais tento esquecer daquela noite mais lá vem a noite novamente;e mais uma noite com ela.
Olho-me no espelho vejo meu rosto refletido junto dela,ela vem como um fastas ma em minha vida em minha imagem,parece que está presa a esse mundo sem fim,por muitas vezes gostaria que o espelho pudesse se refletir as minhas melhores imagens de alegria e de felicidade que ficaram para trás pois tudo que vivi antes foi esquecido apartes do momento que conheci as drogas.
hoje olho e vejo a imagem de uma menina triste e sem vida apenas na busca constante por ela,vivendo com rancor de ser uma viciada com uma tristeza de ver minha família sendo destruída por causa das drogas ver o sorriso de uma mãe quebreira e que sempre fez de tudo por mim que me ama acima de tudo com um olhar de desgosto e tristeza e ainda escutar ela falando (MINHA FILHA VOCÊ VAI MORRER).
Olhar e ver um pai que sempre lutou para me criar de tudo do bom e do melhor com seus limites é claro mais sempre fazendo de tudo para me ver feliz e ver que hoje os sonhos dele foi destruídos porque sua filha foi fraca e caiu no mundo das drogas um mundo que ele mais temia,criticava,me proibia até mesmo de falar com quem fumavam maconha falava que era marginal,ele gostava muito de falar de quem usava drogas e eu que não tinha nada com isso fiquei e pago até hoje.
A droga é cruel o mundo que ela te leva é pior ainda nesse mundo você é por você ninguém faz nada por você atual por nada é um mundo ilegal das drogas das sombras do mau,tudo é valido roubar,matar e muito mais tudo é mesquinho e destrói uma mente fraca ou forte.
/cronicas-artigos/droga-em-dor-maior-5107815.html

Perfil do Autor
muito alegre e animada


a droga apenas é mais uma doença, de quem perdeu as ilusões da Vida, de quem perdeu as forças, algures, num  momento da sua Vida, e encontrou nela uma tábua de salvação que lhe retirou, por momentos a dor sentida dentro...
uma pessoa que não sabia o seu poder destrutivo, e que se ancorou nela para se sentir melhor, esqueçer e arranjar forças sentindo-se em extase por momentos!

não podemos criticar, apontar, sequer desvalorizar quem assim decidiu, apenas compreender que foi uma pessoa que fraquejou  porque não tinha mais ninguém que lhe retirasse a sua dor interna e lhe desse carinho, compreensão e uma mão, lhe ajuda-se a encontrar uma outra saída!!

todos eles precisam de alguém, de algo, de se sentir válidos, quando pensam que não são ninguém e que estão sózinhos, e são os seres humanos que mais sofrem, descriminados pela cruel sociedade, 

apenas precisam de AMOR e carinho...

ANALUZ

A MAIOR DOR DO MUNDO




Faça de tudo para não decepcionar alguém e também não espere muito das pessoas para não se decepcionar, porque não existe dor maior no mundo  M.Silva

"A dor maior do mundo é ter que passar o dia num velório, ter que ver um caixão entrar na sala e saber que é ela lá dentro, ter que ver o mesmo caixão descer na terra e ser coberto e ter que se controlar pra não se jogar junto. A dor maior do mundo é isso: é ouvir a voz dela na minha cabeça 24h por dia e saber que nunca mais vou ouvir essa voz nos meus ouvidos; é não poder abraçar ela, beijar ela, bater na bunda dela, apertar o nariz dela; é dormir e descobrir que a minha cama (nossa cama) é enooorme sem ela e que é horrível não levar nenhum tapa, nenhum chute e não ouvir nenhuma fungada durante a noite; é colocar o porta retrato dela pra dormir; é colocar só 4 lugares na mesa; é assistir um filme e ter uma crise de choro pq ela não viu e não vai poder ver; é lembrar dela em tudo e ver que não existe um futuro para nós; é não ter com quem dançar gafieira e thriller, não ter com quem jogar stop, pega-varetas, adedanha; é não ter com quem ser criança; é não ter graça pra mais ninguém e perceber que só ela ria das minhas besteiras; é não ter quem sente na minha barriga qdo a cólica é forte; é não ter quem tente me ensinar a dançar axé.... É tudo isso e muito mais.

Cura? Não há. Não tem remédio, tratamento, cirurgia, nada. A dor maior do mundo é pra sempre, te acompanha, diminui e aumenta, mas vai estar sempre em você."


Autor: desconhecido
mas uma pessoa que sentiu realmente, uma dor maior quer o mundo, que não para de doer,

.... e você que sofre, e se quer matar e desistir de tudo, pense, pense sempre e tenha sempre em mente

Há sempre alguém que o ama muito (mesmo que você não saiba) e vai sofrer (morrer em vida) porque você desistiu de SI !!!


LUTE, por favor, a vida dá sempre muitas VOLTAS!!


ANaluz

Mensagens populares

About Me

A minha fotografia
ANALUZ
Infinitamente sonhadora... O meu maior sonho: - encontrar o sentido da VIDA
Ver o meu perfil completo
Visitors
Locations of Site Visitors